segunda-feira, 11 de abril de 2016

Deus é de Direita ou de Esquerda?

No meio cristão tem-se levantado uma grande discussão acerca de qual a posição política agrada mais a Deus. Uns dizem que crentes devem ser de direita, outros acreditam inadmissivelmente num governo esquerdista.

Ambos os lados estão errados! Deus não se limita a essas ideologias humanas de governo. Deus não está interessado em governos humanos, e sim no crescimento do seu Reino. Certa vez perguntaram a Jesus sobre coisas legais: “Mestre, ordena a meu irmão que reparta comigo a herança.”; Jesus responde sem titubear: “Homem, quem me constituiu juiz ou partidor entre vós?” (cf. Lc 12.14). Logo após Ele não ordena a partilha – pois isso cabe ao Estado – mas ensina os princípios do Evangelho contra a avareza para que eles possam agir conforme a consciência.

Por isso eu digo que o governo não deve ser adepto de nenhuma religião. Sou contra regimes teocráticos. Em minha opinião o estado deve ser laico. Isso porque todo indivíduo deve seguir a fé que desejar de forma livre, sem intervenção do Estado.

Os crentes que defendem que o Brasil deve ser um país apoiador da Bíblia precisam lembrar que é baseado nesse pensamento ditatorial-teocrático que o Estado Islâmico mata nossos irmãos no oriente. E foi baseado nesse pensamento que João Calvino matou pessoas em Genebra.

Jesus nunca tentou se unir à Política para tentar implantar seu Reino, pois seu Reino não é deste mundo. Ele nunca buscou Pilatos, Herodes, ou César para firmar acordos com os quais forçasse o povo por meio de Leis a seguirem os princípios do Evangelho. Quem quisesse seguir o Evangelho deveria seguir de livre e espontânea vontade, quem não quisesse, era livre para assim escolher.

O que quero dizer com isso é que o governo não deve incentivar as pessoas a seguirem, por exemplo, os princípios da família tradicional. O que ele deve é garantir que todos tenham direito de escolher qual modelo devem seguir sem sofrerem nenhum tipo de preconceito – assim uns, pela fé, seguirão um modelo, e outros seguirão o que quiserem.

O governo deve proteger os que sofrem injustiças. Assim, deve punir o ladrão, o estuprador, o cara que dirige bêbado, etc. Ele, sendo mais forte que o indivíduo, deve garantir leis justas que punam o infrator e proteja a vítima.

O governo deve proteger os desfavorecidos. Não há como negar que o preconceito existe e que aquele garoto do sinal nunca terá as mesmas chances de se dar bem na vida quanto um garoto que nasceu em berço de ouro. Daí deve-se existir programas sociais como as cotas para corrigir essa curva.

O governo deve ser forte na economia para garantir emprego e renda para todos os que se esforçam no mercado de trabalho. Devem existir ricos que ficaram ricos porque mereceram e devem existir pobres que ficaram pobres porque foram negligentes – desde que ambos tenham tido as mesmas condições dadas pelo Estado para batalhar.

Eu poderia continuar e dar uma lista enorme de tudo o que o governo deve fazer. Mas, nos exemplos anteriores já pode ser percebido o que quero dizer. Princípios básicos de justiça e respeito em relação ao próximo, liberdade de expressão, auxílios e incentivos ao povo em suas necessidades econômicas e físicas, correções de curvas sociais, e sempre a busca por igualdade de oportunidades deixando a cargo de cada um escolher lutar para vencer na vida ou não.

Isso que descrevi se assemelha mais com direita ou esquerda? – Ora, acho que tem o melhor dos dois lados. Quando vou votar procuro alguém que tenha pelo menos princípios próximos aos que foram citados.

O que não admito são regimes ditatoriais (de direita ou esquerda) que minam os direitos basilares de qualquer indivíduo. Isso não dá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário